O início de um sonho

O início de um sonho

A princípio, fazia os procedimentos em si mesma e em quem mais aparecesse. A vizinha, Cláudia Queiroz, deu muito apoio e cedeu as próprias mãos. Em casa, o apoio vinha do filho Otávio. “Eu limpava a casa de manhã e, à tarde, era como se eu fosse entrar no serviço: a partir das 14h, eu começava a praticar”, conta Lúcia.

A primeira cliente foi justamente a vizinha Cláudia, que viu a evolução e fez questão de pagar pelo serviço. Os primeiros atendimentos, no fundo da casa alugada, eram simples, com itens improvisados: a mesa era uma tábua de passar roupas; parte dos materiais ficavam em potes de vidro decorados com flores que ela recortou de uma saia. Ali, estava sendo gerada a empresa que mudaria a vida de toda a família, a Unhas de Rainha. Desde o início, os ganhos foram reinvestidos em capacitação.

A saúde e a voz melhoravam, novas clientes apareciam e até o marido se convenceu de que Lúcia havia encontrado algo que tinha prazer em fazer e lhe trazia retorno financeiro. O crescimento da clientela exigia mais espaço e um local mais adequado. O ateliê se mudou para a frente da casa. Vieram mais cursos e eventos, em diferentes